• Rildo Oliveira

Os Vinte Princípios Wilberianos

Atualizado: Set 2

O que todos hólons conhecidos parecem ter em comum?

Ken Wilber respondeu a esta questão listando cerca de vinte princípios em 12 categorias, como se segue.

1. A realidade como um todo não é composta nem de coisas nem de processos, mas de hólons.

Nota: A realidade compõe-se de totalidades que são simultaneamente partes de outras totalidades, sem limite superior ou inferior.

Exemplos: Átomos formam moléculas, que formam organelas, que formam células; letras formam palavras, que formam frases, que formam períodos.


2.Os hólons apresentam quatro capacidades fundamentais: autopreservação, autoadaptação, autotranscendência e autodissolução.
2.a. Autopreservação.

Nota: Um hólon tende a preservar a sua individualidade, totalidade e autonomia.

Esta tendência também é chamada de ação.

Exemplos: Um átomo de hidrogênio tende a se manter instável, uma célula saudável tende a se manter autônoma.

2.b. Autoadaptação.

Nota: Um hólon também funciona como parte de um todo maior.

Esta tendência também é chamada de comunhão.

Exemplo: Elétron acomodando-se em uma camada orbital.

2.c. Autotranscendência.

Nota: Hólons distintos podem se combinar para formar um novo hólon com aspectos inovadores e emergentes.

Whitehead chama isto de criatividade.

Exemplo: Dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio se associam na formação de uma molécula de água.

2.d. Autodissolução.

Nota: Hólons gerados por transcendência também podem se desfazer, e tendem a se desfazer na mesma sequência em que se formaram, mas, em sentido inverso.

Exemplos: células que se quebram em moléculas, que se quebram em átomos, que se quebram em partículas, que desparecem em nuvens transfinitas de "bolhas dentro de bolhas" probabilísticas.


3. Os hólons emergem.

Nota: A emergência também significa indeterminação (ou graus de liberdade).

Exemplos: A vida, a mente e a consciência.

4. Os hólons emergem holarquicamente.

Nota: A emergência se dá em uma sequência todos/partes assimétrica.

Exemplo: Moléculas contém átomos, mas não vice-versa.

5. Cada hólon emergente transcende, mas inclui seu(s) predecessor(es).

Nota: O hólon recém-emerso, inclui seus hólons precedentes e acrescenta o seu próprio padrão. Tudo do mais baixo está no mais alto, mas nem tudo do mais alto está no mais baixo.

Exemplos: Átomos de hidrogênio estão na molécula de água, mas a molécula de água não está nos átomos; os descendentes dos procariontes (partes de células mais desenvolvidas, continuam seu "trabalho").

6. O inferior estabelece as possibilidades do superior; o superior restringe as probabilidades do inferior.

Nota 1: O hólon de nível mais alto não pode violar as leis ou padrões dos hólons de nível mais baixos.

Exemplo 1: Caso o meu corpo (nível mais baixo) caia num precipício, minha mente (nível mais alto) vai junto.

Nota 2: O hólon de nível mais alto pode agir sobre os hólons de nível mais baixos, de modo a modificar suas estruturas de probabilidade, restringindo assim o indeterminismo.

Exemplo 2: Os campos mórficos de Sheldrake que restringem o indeterminismo como na formação de cristais.

7. "O número de níveis que uma hierarquia inclui determina se ela é 'superficial' ou 'profunda'; e o número de hólons em qualquer nível dado define a sua 'amplitude'"

Nota: Este princípio é uma citação direta de Koestler.

Exemplo: No início do universo os átomos têm profundidade 3 e amplitude zilhões.

8. Cada nível sucessivo de evolução produz MAIOR profundidade e MENOS amplitude.

Nota: A profundidade - evidentemente - poderá trazer alguma precariedade á existência de um hólon.

Exemplo: O número de moléculas do universo - por definição - sempre será menor do que o número de átomos.

9. Destrua qualquer tipo de hólon e destruirá todos os hólons acima e nenhum dos hólons abaixo.

Nota: Pergunte-se: "Quais outros tipos de hólons serão destruídos se destruíssemos este tipo de hólon?" - Serão destruídos os hólons mais altos e preservados os hólons mais baixos.

Exemplo: Com a destruição de todas as moléculas, afetamos todos os polímeros mas, nenhum átomo.

10. As holarquias coevoluem.

Nota: A "unidade" da evolução não é um hólon isolado, mas um hólon e seu contexto, pois toda ação é sempre ação-em-comunhão.

Exemplo: Átomos e estrelas, moléculas e planetas, o homem (hólon individual, micro) co-evolui com o Estado (hólon social, macro), mas observe-se que hólons individuais e hólons sociais têm naturezas distintas.

11. O micro [individual] está em troca relacional com o macro [social, meio-ambiente] em todos os níveis de sua profundidade.

Nota: O micro é um hólon individual que se reproduz em todos os níveis de profundidade com o contexto ao qual está inserido.

Exemplos: Os procariontes medeiam trocas com o sistema Gaia (stricto sensu); o ser humano se reproduz fisicamente (economia de trocas), biologicamente (sexo) e mentalmente (cultura).

12. A evolução tem direcionamento.

Nota: A seta do tempo evolucionário tende à complexificação, emergência criativa, quebras de simetria, autotranscendência, profundidade crescente e maior consciência.

Exemplo: A própria Evolução darwiniana.

12.a. Complexidade crescente.

Nota: O que se observa na natureza é a crescente emergência da complexidade.

Exemplo: O cérebro trino.

12.b. Diferenciação/integração crescente.

Nota: "A evolução é uma mudança de uma homogeneidade indefinida, incoerente, para uma heterogeneidade definida, coerente, por diferenciações e integrações contínuas" - (Hebert Spencer)

Exemplo: A diferenciação progressiva do zigoto e a integração progressiva das partes resultantes em tecidos, sistemas de órgãos, organismo.

12.c. Estruturação/organização crescente.

Nota: A evolução move-se do mais simples para o mais complexo e do nível mais baixo de organização para o nível mais alto.

Exemplo: Na distinção ente clado e grau, na evolução.

12.d. Autonomia relativa crescente.

Nota: Refere-se à capacidade de autopreservação do hólon no meio de flutuações ambientais. Quanto maior a profundidade de um hólon, maior a sua autonomia relativa.

Exemplo: Um ser humano consegue manter a sua temperatura interna relativamente independente da temperatura do meio-ambiente; uma lagartixa, não.

12.e. Telos crescente.

Nota: A estrutura profunda de um hólon age como um ponto ômega em miniatura para a realização do hólon no espaço e no tempo.

Exemplo: Atrator caótico de sistemas complexos.

150 visualizações
Faça parte da nossa lista de emails

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon