• Rildo Oliveira

Hólons, Holarquias e Kosmos

Atualizado: Ago 28


CLIQUE PARA AMPLIAR













O termo hólon foi cunhado por Arthur Koestler (1905-1983) para se referir ao que sendo um todo em um contexto, é simultaneamente uma parte em outro contexto.

Conforme Wilber:

Hólons [...] são todos que são partes de outros todos, indefinidamente. Átomos inteiros são partes de moléculas; moléculas inteiras são partes de células; células inteiras são partes de organismos, e assim por diante.

E mais:

Uma letra é parte de uma palavra, [palavras inteiras são partes] de uma frase, que é parte de um parágrafo, e assim por diante.

O conceito de hólon está necessariamente imbricado à definição de hierarquia:

Hierarquia é [...] uma graduação de ordens de eventos de acordo com sua capacidade holística.

Mas é fato e frequente que as hierarquias se tornem patológicas, entretanto, a existências de hierarquias patológicas não condena a existência de hierarquias em geral. Então, que se fique claro: existem pelo menos dois tipos de hierarquias:

  1. Hierarquias de dominação (patológicas).

  2. Hierarquias de realização (saudáveis).

Por outro lado, temos as Heterarquias: Sistemas onde os elementos não são classificados em uma ordem. E estas também podem ser de, pelo menos, dois tipos:

  1. Heterarquias patológicas.

  2. Heterarquias saudáveis.

Wilber nos adverte:

Quando usar o termo "holarquia", estarei me referindo ao equilíbrio entre hierarquia normal e heterarquia normal.

***

Foi também Koestler quem cunhou o termo holarquia, pois notou que todas as hierarquias são compostas de hólons. Hólons, distribuídos em uma ordem crescente (holarquicamente), que formam o Kosmos.

***

Mas, o que é Kosmos?

Wilber, como os físicos em geral, utiliza a palavra Cosmos (com "C") para se referir ao universo material. Cosmos é, neste sentido, o Espaço-Tempo, composto de matéria e energia; o Universo como estudado pela Cosmologia (p. ex. Carl Sagan, Neil Tyson, Marcelo Gleiser et al).

Ken Wilber reserva o termo "Kosmos" para falar sobre um Cosmos Ampliado, que inclua, além da matéria, a vida (Biosfera), a mente (Noosfera) e o Espírito (Teosfera). E esta não é uma nomenclatura inventada por ele, pois já na filosofia grega (p.ex. Pitágoras), a palavra "Kosmos" se referia a tudo o que existe, à harmonia universal, ao universo ordenado por leis e regularidades (que transcendia o Caos original), organizado de maneira abrangente, regular e integrada.

Enfim o Kosmos é a Realidade e esta:

Não é composta nem de coisas nem de processos; não é composta nem de átomos nem de quarks; não é composta nem de totalidades nem de partes. Ela é composta de todos/partes ou hólons.
175 visualizações